segunda-feira, 30 de agosto de 2010

Giro de estrelas

Em pleno deserto do Atacama do Chile, telescópio do Observatório Europeu capta imagem curiosa de estrelas

Estrelas parecem formar círculos nesta imagem tirada pelo Observatório Europeu Sul, baseado no Chile.

(iG) As estrelas parecem girar em torno do pólo sul nesta imagem tirada por telescópio do Observatório Europeu Sul, baseado no Chile. O céu sobre Paranal fornecer ótimas oportunidades de observação para os astrônomos. No observatório de Cerro Paranal, no Deserto de Atacama do Chile, um dos quatro telescópios do observatóriopode ser visto à direita, realizando sua tarefa noturna de olhar para o céu. O ambiente seco e a altitude de 2600 metros favorecem o trabalho dos astrônomos.

segunda-feira, 23 de agosto de 2010

Astrônomo amador tira fotos do espaço com iPhone 4


(Geek / Terra) Os celulares modernos, como o iPhone ou Android, podem ser úteis para vários hobbies. O designer e astrônomo amador Masaki Higuchi demonstrou uma nova maneira de juntar as coisas: usando um pequeno telescópio comprado na internet, ele conseguiu tirar fotos da Lua usando o seu iPhone 4.

Existem adaptadores para câmeras "de verdade" e até algumas específicas para astronomia à venda, mas a disponibilidade da câmera no celular e o baixo custo do conjunto de lentes é uma combinção interessante para quem está começando a explorar os céus. Higuchi atribiu a qualidade da imagem ao novo sensor retroiluminado do iPhone 4 (já que seu telescópio amador não entrega muita luz), mas é possível que outros aparelhos tirem fotos de qualidade, especialmente os mais sofisticados.

O uso dos smartphones para ver estrelas não se limita à câmera. Para orientar a observação astronômica, programas criam mapas do céu automaticamente, de acordo com a posição e até a direção para a qual estão apontadas. O Android, por exemplo, conta com um aplicativo oficial do Google, o Sky Map (google.com/mobile/skymap), cujo funcionamento é simples e inteligente: você aponta o celular para o céu como se fosse tirar uma foto das estrelas, e ele mostra na tela qual é a constelação ou ente celeste que você está vendo. O programa não usa a câmera, mas sensores do celular como GPS, e portanto, funciona mesmo de dia ou sob a neblina, buscando os dados na internet.

Sem o programa do Google como opção, os donos de iPhone que querem olhar as estrelas podem recorrer a outros aplicativos, como o Starmap (www.star-map.fr), que nas versões pagas ajuda até a organizar lunetas e telescópios. Mas a versão gratuita provavelmente já é mais que o bastante para quem estiver usando o próprio telefone como câmera astronômica.

Voltando a Higushi, ele afirma ter usado um telescópio barato (Pencil Borg 175mm f7, que custa cerca de cem dólares dólares) e um visor LV 5mm da Vixen. Com esse conjunto relativamente simples acoplado ao iPhone, seu primeiro teste foi a impressionante foto da lua que ilustra este texto.

sexta-feira, 6 de agosto de 2010

Nebulosas NGC6894 e Sh2-132


(AstroPT) Duas excelentes imagens do astrónomo amador português Carlos Gouveia.
A imagem de cima é da Sh2-132; a imagem de baixo é da NGC6894.