segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

ISS + Discovery STS-133

Registro de Thierry Legault
Vídeo da ISS + Discovery aqui
----
Matérias similares no Física na Veia e Cienctec
----

quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

Nasa divulga imagem que mostra galáxias e nebulosas no céu da Suíça


(Estadão) Embora as luzes das cidades grandes atrapalhem a visualização em muitas partes do planeta, a Nasa divulgou nesta terça-feira, 22, uma imagem que ilustra de tudo que é possível ver no céu do hemisfério norte nessa época do ano.

Na foto, tirada na Suíça à meia-noite, eram visíveis galáxias - parte da Via-Láctea, a Galáxia de Andrômeda (M31) e a Galáxia Triangulum (M33). Também podiam ser observados aglomerados de estrelas incluindo NGC 752, M34, M35, M41, o aglomerado duplo e o aglomerado em colmeia (M44). Além disso tudo, também é possível ver nebulosas na imagem: nebulosa de Órion (M42), Nebulosa Rosette, nebulosa Pacman e outras.
----
Matéria similar no Cienctec

terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

Conjunção Entre a Lua, Júpiter e a Coroa Lunar


(EPOD / Cienctec) A foto acima, aqui reproduzida, mostra uma esplêndida conjunção entre a Lua crescente e o planeta Júpiter, bem brilhante no centro da imagem, conjunção essa, que foi observada desde Orsta na Noruega na noite de 10 de Janeiro de 2011. Nessa noite, esses dois corpos celestes estavam separados por apenas sete graus. Uma coroa lunar ajuda a chamar mais atenção para a paisagem observada, deixando-a ainda mais incrível. A coroa surge devido a efeitos de difração, resultado da interação entre a luz da Lua e as gotículas de água presentes nas nuvens de nível intermediário, cristais de gelo raramente se envolvem na geração desse fenômeno. É possível notar na imagem bandas de nuvens inferiores escuras que parecem derivar ao longo do disco da Lua, que está com uma iluminação de aproximadamente 34 por cento.

terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

RegiStax


(Livres Pensadores) O RegiStax é um software para fotos digitais da registax.astronomy.net. Ele é uma ferramenta de processamento de imagem que é usada para empilhar (digitalmente) imagens astronômicas, a fim de melhorar os detalhes, cores e qualidade geral.

Ele tem sistemas de alinhamento de imagens, tem controles para ajustar brilho, gama, histograma, mudança RGB e muito mais. Outras características incluem filtros controlados pelo usuário para redução de ondulações, reamostragem, desentrelaçamento horizontal e vertical, etc. Assim, ele oferece várias opções diferentes para que você possa obter o melhor das suas imagens astronômicas.

O RegiStax pode ler/escrever vários formatos de arquivos. O formato RAW-AVI, disponível entre as webcams populares, foi adicionado de forma a permitir o processamento direto.

O método mais usado para a obtenção de imagens de alta resolução de planetas, luas, etc, começa com um vídeo feito com uma webcam. O vídeo é então processada com o RegiStax e resulta em um “empilhamento” de imagens de várias centenas de quadros, que gerará a imagem final.


Licença: Freeware
Idiomas: Inglês e Alemão
Plataforma: Windows 2000, XP, Vista, 7 e Linux com Wine.
Clique aqui para ir à página de download.


----
E mais: RegiStax Cookbook – Tutorial do RegiStax (Livres Pensadores)

quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

Seis Meses Rastreando o Sol Através do Céu


(EPOD / Cienctec) A imagem mostrada acima é o resultado do rastreamento do Sol a cada dia à medida que se movia através do céu sobre a cidade de Southhampton na Inglaterra, entre o dia do solstício de verão (21 de Junho) e o solstício de inverno (21 de Dezembro). A imagem foi produzida usando uma simples câmera de orifício que ficou imageando o Sol, seguindo sua passagem olhando para o horizonte sul. O Sol, no inverno nessas latitudes quase toca o horizonte, enquanto que o Sol no verão, ao meio dia, está a aproximadamente 60 graus acima do horizonte no final de Junho e começo de Julho. É evidente que o verão no último ano na Inglaterra foi um pouco triste, os buracos nos rastros individuais são causados pelas nuvens que tamparam o Sol. O outono por sua vez foi muito mais agradável.

A pequena câmera que fez essa imagem foi feita a partir de uma lata de cerveja de alumínio que tem o tamanho perfeito para o papel fotográfico padrão. O orifício de 0.8 mm foi feito usando uma máquina de precisão. A luz que é observada na parte inferior central da imagem é o domo do observatório onde foi feita a imagem, New Forest Observatory.

segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

O Brilho do Ar (Airglow) e a Luz Zodiacal


(EPOD / Cienctec) A foto com exposição de tempo mostrada acima apresenta tanto a luz zodiacal como o brilho do ar, fenômenos que foram observados na noite de 3 de Janeiro de 2011 em Great Plains na parte leste do Kansas. A luz zodiacal é cone de luz apagado de Júpiter até o centro do horizonte. Atualmente acredita-se que essa luz surja graças à dispersão da luz pelas partículas de poeira de cometas que passaram a muito tempo e deixaram esse rastro para trás.

O brilho do ar é visto aqui como um brilho avermelhado. Acredita-se que esse brilho seja produzido pela fraca emissão de oxigênio na termosfera terrestre e essa é uma das razões porque a noite não é totalmente escura. A faixa à direita formando um “V” com a luz zodiacal é uma falha na camada de brilho do ar. Ondas gravitacionais na ocasião, aparentemente perturbaram o brilho do ar, formando irregularidades vistas como bandas e faixas. Objetos que podem passar pela camada brilhante do ar provavelmente podem corromper sua continuidade. Como todos os outros objetos celestes apagados e fenômenos atmosféricos, o brilho do ar e a luz zodiacal são facilmente detectáveis longe da luz das cidades. É melhor procurar pela luz zodiacal 90 minutos após o pôr-do-Sol no final de Fevereiro e início de Março quando a Terra está inclinada em relação à elíptica, fazendo com que a luz zodiacal possa ser mais notada com facilidade. A Lua também é um fator que pode influenciar a observação desses fenômenos.

quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011

Imagem mostra Lua e Vênus alinhados no céu da Suíça


(Estadão) A imagem mostra o nascer do Sol na vila de Trübbach, na Suíça. No canto direito, é possível ver a Lua crescente e Vênus alinhados sobre a paisagem coberta de neve. O planeta permanecerá visível no céu matinal do país durante todo o mês de fevereiro.
----
Matéria similar na Veja

terça-feira, 1 de fevereiro de 2011

Duas Diferentes Imagens da Nebulosa da Roseta


(Universe Today / Cienctec) Quando você olha essa imagem, você pensa que está vendo a Nebulosa da Roseta em dobro, certo? Essa novo foto foi feita pelo astrônomo amador César Cantú em Monterrey no México e mostra duas diferentes visões dessa massiva nuvem de gás e poeira, comparando duas técnicas de combinar filtros de modo que diferentes feições fiquem claras. César usou um telescópio Takahashi FSQ106 e uma câmera FLI 8300 com banda estreita de 3 nanômetros e filtros RGB, usando um tempo de exposição de 8 horas e subexposições de 600 segundos cada. Ele usou programas como PixInsight e Photoshop CS para processar a imagem.

A Nebulosa da Roseta (NGC 2244) é parte de uma grande aglomerado, que localiza-se a uma distância de aproximadamente 5200 anos-luz da Terra e mede de maneira grosseira 130 anos-luz de diâmetro.