quinta-feira, 4 de dezembro de 2014

II Encontro Paraibano de Astrofotografia - REGISTROS

segunda-feira, 24 de novembro de 2014

7o. Encontro Brasileiro de Astrofotografia - VIDEO

segunda-feira, 10 de novembro de 2014

segunda-feira, 3 de novembro de 2014

Luz zodiacal


(UOL) O European Southern Observatory (Observatório Europeu do Sul, em tradução livre do inglês) divulgou uma imagem feita em setembro de 2009 no observatório de La Silla, no Chile, que mostra uma luz zodiacal, isto é, um brilho triangular. O brilho deixa evidente um mar de nuvens que se instalaram no vale abaixo de La Silla, que fica a uma altitude de 2400 metros. A luz zodiacal é a luz solar refletida em entre o Sol e a Terra. Como implica seu nome, este brilho celeste aparece no anel de constelações conhecidas como o zodíaco.

terça-feira, 28 de outubro de 2014

"Não há nada como o Atacama"

Confira os melhores momentos do bate-papo com Adhemar Duro, embaixador de astrofotografia do ESO




(Galileu) Nesta segunda-feira (27) a GALILEU promoveu um #FacetoFace, um bate-papo através do Facebook, entre leitores e o astrofotógrafo Adhemar Duro. O professor catarinense foi escolhido como embaixador de astrofotografia doEuropean Southern Observatory (ESO) e compartilhou dicas de como tirar as melhores fotos do céu.

Confira, aqui, os melhores momentos da conversa:

Júlia Klein Aurélio: Teria algum horário que seja melhor para fotografar à noite? Sem ser timelapse.
Adhemar Duro: Sim. É necessário planejar de acordo com a fase da Lua. Se você quiser mais estrelas visíveis ou a Via Láctea, evite a luminosidade da Lua.

Rennan Araujo: Cara, queria que você me contasse um pouco de quando exatamente surgiu essa paixão por fotografia. E mais precisamente, sobre esse tipo tão peculiar.
Boa pergunta! Quando criança eu acordava bem cedo no domingo pra assistir a série Cosmos, com o genial Carl Sagan. Desde então sempre fui fascinado por Astronomia. Também adorava Star Wars e Star Trek!

Felipe Germano: Sei que você usa câmeras avançadas para conseguir as fotos com qualidade. Mas existe alguma forma de captar boas fotos com um equipamento amador? Como não passar vergonha tirando fotos da Lua e postando no Facebook?
Já vi resultados excelentes com sensor cropado. Há ótimas opções de lentes tb. Fotografe sempre em RAW!

Leandro Lara: Você poderia contar um pouco do processo para fazer esse tipo de foto?
Planejamento prévio é essencial. A escolha do local deve ser antecipada e planejada de acordo com a fase da lua. Depende da técnica que vc deseja realizar.

Jefferson Salgado: Existe algum curso online que você recomenda para quem quer começar a aprender esse tipo de fotografia ou mesmo fotografia básica? Sempre quis entender mais sobre o tema, mas na minha região não temos cursos assim.
Sugiro um e-book: Shooting Stars, do Phil Hart!

Fernandu Z-luciu: Existe ou qual seria opção no mercado de máquinas fotográficas para iniciantes do mundo da astronomia?
Qualquer câmera que permita captura em RAW e controle Manual de ajustes, com uma lente com foco Manual.

Luciana Galastri: No Brasil, quais são os lugares em que você já fotografou e que apresentaram a melhor visibilidade do céu?
Fotografei na região de Lages, na Serra Catarinense. Gostei dos resultados!

André Jorge de Oliveira: Na sua opinião, qual é a região que possui o céu noturno mais bonito do Brasil, seja para fotografar ou apenas admirar a olho nu? Tem alguma comparação com os céus do deserto do Atacama?
Essa pergunta está relacionada ao clima das regiões. Aqui no Sul é muito úmido mas algumas poucas noites de inverno são bem secas, ideiais pra astrofotografar. A melhor região para contemplação é aquela mais distante das grandes cidades que vc puder alcançar! Não há nada como o Atacama!

E um resumo da conversa, cortesia do Adhemar:

Como são muitas as perguntas, vamos ao essencial: 1 - Vá pra longe das cidades, 2 - Estabilize a câmera (tripé), 3 - Captura em RAW, 4 - Ajuste para ISO alto (entre 800 e o máximo de sua câmera), 5 - Abertura entre 2.8 e 4.0, 6 - Exposição de 15 a 30s, 7 - Foco no infinito (foque uma lanterna colocada no chão à distância e desligue o automático), 8 - Dispare com retardo ou controle remoto. Não tem erro!
----
E mais:
Veja 10 imagens incríveis de astrofotografia (Super)

terça-feira, 21 de outubro de 2014

Brasileiro recebe título internacional de embaixador por astrofotografia

Professor, que dá aulas em SC, começou a utilizar técnica 'por curiosidade'. Ele é o único brasileiro entre 19 fotógrafos nomeados embaixadores.



(G1) O professor Adhemar Duro, de 41 anos, recebeu o título de 'Embaixador Fotográfico' de uma entidade internacional pelo trabalho com a astrofotografia. Ele é o único brasileiro entre os 19 fotógrafos nomeados embaixadores do European Southern Observatory (ESO).

A entidade possui um observatório no Chile. Em 2011, o professor, que dá aulas em Itajaí, entrou em contato com a unidade, inscreveu um projeto e conseguiu autorização para produzir imagens do espaço durante uma noite. "Muita gente visita o Chile para fazer essas fotos", afirmou Gustavo Rojas, representante brasileiro da organização. A titulação foi dada ao professor no fim do primeiro semestre deste ano.

Naquele ano, Adhemar começou a utilizar a técnica da astrofotografia "por curiosidade". "Mexo com fotografia desde a época do filme analógico. Profissionalmente, sempre fotografei cirurgias. Em 2009, comprei uma câmera digital e comecei a sair para treinar. Procurava tirar fotos da natureza", contou ele, acrescentando que aprendeu praticamente sozinho.

A vontade de aprimorar as técnicas fez com que ele voltasse para a faculdade como aluno para cursar Fotografia. "Me bateu um estalo e senti a necessidade de fazer algo novo", expõe. Morador de Balneário Camboriú, Litoral Norte catarinense, ele vive em Santa Catarina há 15 anos e atua como professor de Odontologia, em Itajaí.

Técnica específica
Segundo ele, a astrofotografia exige técnica apurada e muita paciência. Para a produção de uma única imagem, pode-se tirar mais de mil fotos por várias horas ou mesmo uma noite inteira. "É uma técnica bem específica e não se ensina na faculdade".

O Observatório afirma que o deserto do Atacama, no Chile, é um dos melhores lugares do planeta para observar estrelas. Foi lá que Adhemar registrou as imagens. Numa delas, chamada de 'rastros de estrelas', o céu forma circunferências a partir dos pontos de luz daqueles corpos celestes.

"Dá para fazer com uma foto só, que é bem mais complicado, ou com várias fotos de 20 ou 30 segundos. Aí edita e a imagem constrói a passagem das estrelas. É muito difícil conseguir aqui na região [de Santa Catarina]. É preciso de uma noite sem vento e umidade, com céu limpo e pouca lua", explica ele.

Ele conta ainda que tem buscado cada vez mais fazer uma transição para a nova profissão. "Quero investir mais nisso. Tem gente que diz que fotografar é um hobby, só que, para mim, é muito mais que isso. Fotografar um céu noturno mais límpido do mundo é uma visão fantástica", assegura Adhemar.
----
Mais imagens aqui

sexta-feira, 10 de outubro de 2014

16 fotos do eclipse total que avermelhou a Lua


(Exame) A filtragem da luz solar por camadas inferiores da atmosfera deixou a Lua vermelha na noite de 08 de outubro. Acesse acervo aqui

----

quinta-feira, 2 de outubro de 2014

Internauta fotografa obelisco durante fenômeno do equinócio em Macapá

Fotógrafo enviou imagem através da ferramenta colaborativa VC no G1. Registro mostra o sol através do obelisco do monumento Marco Zero.


(G1) Em Macapá, o internauta Manoel Raimundo Fonseca, de 50 anos, registrou o fenômeno do equinócio no momento em que o sol aparece no obelisco do monumento Marco Zero do Equador, ponto turístico da capital. O fenômeno é considerado um evento turístico no Amapá, e mostra o instante em que o sol se alinha com a linha imaginária do equador. A fotografia intitulada “Equinócio de Primavera na Linha do Equador” foi feita às 6h40 do dia 23 de setembro, dia de início do fenômeno, e enviada através da ferramenta colaborativa VC no G1.

“Como a imagem foi bem curtida no Facebook, recebi muitos elogios e ela foi bastante compartilhada. O equinócio sempre desperta interesse, principalmente por morarmos na Linha do Equador. Há um significado peculiar pra nós amapaenses”, explicou Fonseca.

Não foi a primeira vez que o internauta fotografou o fenômeno, mas desta vez, ele se preparou para o evento. “Eu já tinha fotografado o fenômeno antes, mas essa foto teve mais impacto. Me preparei bastante para esse momento”, disse.

Fonseca é analista judiciário e fotografa desde os anos de 1980, mas começou a se dedicar profissionalmente a fotografia há 2 anos. Ele acredita que o fenômeno poderia ser mais valorizado.

“Tenho amigos que moram no exterior e, quando expliquei o fenômeno, eles acharam fantástico. E pediram mais informações sobre nossa cidade, nossa cultura e como festejamos esse evento. O monumento do Marco Zero deveria ser um grande portal cultural e o equinócio deveria ser um evento que constasse como data importante a ser comemorada”, afirmou Manoel Fonseca.

O equinócio acontece em março e em setembro. O fenômeno marca o momento em que o dia e a noite têm a mesma duração (12 horas).

quarta-feira, 24 de setembro de 2014

Céu estrelado


(UOL) Membro da tripulação a bordo da Estação Espacial Internacional (ISS) captura imagem de céu estrelado. O painel branco (esquerda) pertencente à nave espacial ATV-5, que está acoplada à ISS.

sexta-feira, 19 de setembro de 2014

Imagem de aurora boreal sobre lago na Islândia é 'foto de astronomia do ano'

Competição do Observatório Real de Greenwich reuniu centenas de imagens impressionantes retratando beleza do cosmos.




(BBC/G1) De um eclipse sobre o Quênia até um céu sereno preenchido com uma aurora verde cintilante - a competição "Fotógrafo de Astronomia do Ano", realizada pelo Observatório Real de Greenwich, em Londres, apresenta o cosmos que vai além do nosso planeta por meio de fotos deslumbrantes.

Foram centenas de participantes de 51 países, com fotos divididas nas categorias Terra e Espaço, Pessoas e Espaço, Nosso Sistema Solar, e Espaço Profundo. Veja galeria de imagens.

O vencedor geral foi o britânico James Woodend, que ganhou o prêmio principal de Fotógrafo de Astronomia de 2014 com uma foto da aurora verde cruzando o céu islandês e refletindo na lagoa glacial de Vatnajökull.

Shishir Shashank Dholakia, de 15 anos, dos Estados Unidos, ganhou na categoria Fotógrafo Jovem do Ano. As fotos vencedoras estão expostas no Observatório Real de Greenwich até 22 de Fevereiro de 2015.
----
Matéria com imagens aqui
----
Matérias similares no TerraVejaUOL e R7

quarta-feira, 17 de setembro de 2014

C/2014 E2 Jacques



Antônio Martini Jr.
Telescópio Meade SC 254 mm - Câmera ASI 120 MC - redutor focal 0,5
Captura Sharp Cap - 22 frames de 4 s processados AS!2 - 16/9/14

terça-feira, 9 de setembro de 2014

Veja fotos da última 'superlua' do ano

Fenômeno pôde ser observado na noite desta segunda-feira (8). Lua fica 14% maior e 30% mais brilhante do que o normal.



(G1) A última 'superlua' de 2014 pode ser observada na noite desta segunda-feira (8) em várias partes do mundo. O fenômeno ocorre quando a Lua alcança o ponto mais próximo de sua órbita na Terra (distância mínima de 358.387 km).

O satélite natural do nosso planeta surgiu 14% maior e 30% mais brilhante do que o normal. O seu auge pode ser observado às 22h38 desta segunda-feira no horário de Brasília. Esta foi a terceira e última 'Superlua' do ano. As outras foram nos dias 12 de julho. e 10 de agosto. Em 2015, o fenômeno será nos dias 20 de janeiro, 18 de fevereiro, 20 de março, 29 de agosto, 28 de setembro e 27 de outubro.
----
Acervo de imagens e vídeo aqui
----
Matérias similares no TerraGalileuiG e Veja
----
E mais:
Professor junta 350 fotos para fazer vídeo do nascer da superlua no DF (G1)
-----




Jorge Coghlan - Santa Fe - Argentina

----

segunda-feira, 8 de setembro de 2014

Fotos tiradas com telescópio categoria de concurso de fotografia

(Portal Brasil) Os estudantes de graduação e pós-graduação, docentes e pesquisadores brasileiros interessados em participar do Prêmio Fotografia-Ciência & Arte 2014 têm até sexta-feira para inscrever suas imagens para apreciação da comissão julgadora.

A fotografia inscrita deverá estar associada à atividade científica ou tecnológica e ter sido produzida para fundamentar o trabalho de pesquisa, ao qual o candidato (a) esteve ou esteja vinculado.

Duas categorias serão contempladas nesta edição: imagens produzidas por câmeras fotográficas, modalidades ambiente silvestre e antrópico; e imagens produzidas por instrumentos especiais (ópticos, eletromagnéticos e eletrônicos), como lupa, microscópio, e imagens de satélite.

Os três primeiros colocados, em cada modalidade, serão premiados em dinheiro. O primeiro receberá a quantia de R$ 8 mil, o segundo R$ 5 mil, e o terceiro R$ 2 mil. O primeiro colocado de cada categoria terá direito a passagem aérea e hospedagem para participar da 67ª Reunião Anual da SBPC, em julho de 2015, em São Carlos (SP)

quinta-feira, 4 de setembro de 2014

Artista cria fotografias 'cósmicas' para mostrar como humanos estão perto das estrelas

Imagens psicodélicas foram criadas com técnicas especiais de animação



(R7) O fotógrafo Ignacio Torres é conhecido por suas fotografias artísticos que simulam a profundidade de campo dos ambientes 3D. A mais nova série do texano evoca a similaridade química do corpo humano com as estrelas e outros corpos celestes, e o resultado são imagens etéreas, que parecem mostrar sonhos psicodélicos.

Mais imagens aqui

segunda-feira, 25 de agosto de 2014

Conheça o trabalho dos astrofotógrafos

Nem pessoas, nem natureza. Esse tipo de fotógrafo busca no espaço a inspiração para seus cliques.


(Super) Da cidade de Assis, interior de São Paulo, o casal Fábio e Gabriela Carvalho vasculham os céus com telescópios e câmeras fotográficas em busca de imagens de planetas e satélites. Eles contaram para a SUPER um pouco da vida dos astrofotógrafos e do trabalho deles no Observatório OTUS. Acesse aqui

quarta-feira, 20 de agosto de 2014

Fotógrafo captura céus noturnos deslumbrantes

Randy Halverson viajou pelo centro-oeste dos EUA para tirar as fotos do céu


(R7) Você gosta de imagens noturnas? Então conheça o trabalho de Randy Halverson, que é de encher os olhos para quem gosta de fotografias bonitas. Mais imagens aqui

terça-feira, 19 de agosto de 2014

Fotógrafo revela em imagens céu de Campinas invisível aos olhos

'Quero mostrar a realidade que as pessoas não percebem', afirma Defavari. Para ele, melhor lugar na cidade para fotografar é Observatório Municipal.


(G1) Olhar para o alto em busca do melhor momento para revelar estrelas, planetas, meteoros e a Via Láctea é o hobby, que está quase virando profissão, de um engenheiro mecânico que mora em Campinas (SP). O interesse de Rafael Defavari, de 28 anos, por astronomia uniu-se a sua outra grande paixão, a fotografia, levando para suas imagens noturnas do céu da cidade muito mais do que os nossos olhos podem captar numa simples observação.

"Eu quero mostrar a realidade, o que as pessoas não percebem e, por isso, muitas vezes elas se espantam quando olham minhas imagens", afirma o fotógrafo. Para ele, isso acontece porque olhamos pouco para o céu. "Muitos nunca tiveram a oportunidade de perceber que aquilo [universo] está lá para eles observarem. E a câmera capta mais do que nossos olhos conseguem ver ", destaca.

União de paixões
A união das duas paixões começou em 2009 durante um intercâmbio para a França. "Eu viajava e queria mostrar tudo para a minha família. Comecei a estudar e fotografei até a Aurora Boreal na Noruega, mas não é a que eu gostaria, pretendo voltar lá", planeja.

Depois disso, ele conta que não parou mais e passou a registrar em imagens também o céu de Campinas, a partir do Observatório Municipal Jean Nicolini, no distrito de Joaquim Egídio, por ser o ponto mais distante da parte urbana da cidade. "Eu não sabia da existência do local, acabei descobrindo por acaso. Ele é o lugar mais afastado, então é o melhor para fotografar aqui", explica.

Defavari conta que no início não imaginava que poderia fazer fotos com tantas estrelas e também com a presença marcante da Via Láctea - galáxia do qual o sistema solar faz parte - a partir do céu de Campinas devido ao excesso de luzes. "Eu não acreditava no potencial daqui, porque na cidade falta repensar o sistema de iluminação, tem muito poste jogando luz para cima", afirma.

Dias certos
Segundo Defavari, para conseguir imagens com tantos detalhes, é preciso esperar o momento certo. "Primeiro, a lua não pode estar no céu. Tem que ser lua nova, não pode ter nuvem e a Via Láctea tem que estar lá e ela só fica entre maio e outubro."

O fotógrafo conta que quando encontra as condições ideais para fazer as imagens, chega a passar a noite toda fotografando. "Minha namorada até brinca que quando tem lua nova, ela perde o lugar. Sempre gostei de estrela, de céu, é desde pequeno, eu tinha até uma lunetinha", relembra.

Além dos fatores astronômicos, é preciso ter também equipamentos adequados. Antes de iniciar um trabalho, ele monta a câmera e o tripé, coloca uma lente especial e deixa a máquina disparar automaticamente. "Eu uso lentes rápidas. As dos kits são muito escuras e o problema da Via Láctea e das estrelas daqui [Campinas] é que as luzes são muito fracas. Então, tem que deixar um tempo longo de exposição para captar cada vez mais luz.", explica.

Além disso, ele usa um aplicativo para mapear as condições astronômicas e encontrar o que será fotografado. "O céu depende da hora e do local, então você escolhe no simulador e coloca onde você está, dia e horário que quer fotografar, e ele te dá todas as coordenadas, como posição das estrelas. É importante porque nem sempre temos o visual antes de fotografar."

Sem interferência
Questionado sobre o tipo de tratamento que aplica nas imagens, Defavari rebate e diz que não interfere nas fotografias e que tudo que aparece em seus trabalhos é um registro do que acontece no ceú. "O único tratamento que eu faço é transformar o formato bruto em JPEG. Altero brilho e contraste porque nem sempre a câmera capta do jeito certo por ser foto noturna. Mas, introduzir cores ou coisas que não existiam, jamais! Tudo que está lá a câmera registrou realmente. Nada é fantasia", destaca.

Além de imagens a partir de máquinas fotográficas, Defavari conta que em algumas situações também utiliza um telescópio. "Não tem diferença em princípio de funcionamento, pois o telescópio é uma lente, só muda a distância focal. Uma lente [comum] tem distância de 50 mm e o do observatório tem mais de 6 mil mm. É a mesma câmera que é acoplada ao equipamento. Faço fotos assim de galáxias distantes."

Novo desafio
Apesar de conseguir imagens com muitos detalhes e que impressionam em Campinas, sua paixão por fotografar estrelas e galáxias está longe de terminar. Para Defavari seu maior desafio ainda está por vir, será em outubro, quando viajará para o Chile. "O céu mais bonito do mundo é do Atacama no Chile. É uma região seca, pois chove pouco por ano. Além disso, o deserto está muito longe da cidade, a poluição luminosa não atrapalha e nem as condições atmosféricas", se anima o fotógrafo planejando o futuro.
----
Mais imagens aqui

quarta-feira, 13 de agosto de 2014

Brasileiro registra espetacular imagem da Galáxia de Andrômeda



(Apolo11) A Galáxia de Andrômeda é a rainha das galáxias no céu. Nenhuma outra galáxia aparece de forma tão espetacular como ela. Andrômeda pode ser vista até mesmo a olho nu, mas para registrar uma imagem tão espetacular assim precisa entender muito de astrofotografia!

A foto que ilustra esse artigo não foi feita pelo telescópio Hubble ou por grandes observatórios. Também não foi feita por estrangeiros com equipamentos dignos de filmes de ficção científica. Foi registrada por um brasileiro, Rodrigo Andolfato, durante um encontro de astrônomos amadores.

Andolfato é um astrofotógrafo bastante conhecido entre os amantes da astronomia e dedica boa parte do seu tempo para registrar as belezas de céu noturno.

Recentemente, durante o VII Encontro Brasileiro de Astrofotografia, realizado na Chapada dos Veadeiros, Andolfato fez diversos retratos do firmamento, incluindo essa maravilhosa imagem da Galáxia de Andrômeda, ou M31, localizada a mais de 2.5 milhões de anos-luz de distância.

Para registrar Andrômeda em todo o seu esplendor, Andolfato fez 40 imagens com 2 minutos de exposição e utilizou uma teleobjetiva de 200 mm acoplada a uma câmera especial para astrofotografia. Em seguida, "empilhou" os 40 frames em um software adequado.

Empilhar fotogramas é uma técnica usada em astronomia para somar imagens feitas separadamente com o objetivo de extrair detalhes impossíveis de serem registrados em uma única foto.



O resultado, como se pode ver, foi simplesmente impressionante. Digna de uma galáxia com mais de 1 trilhão de estrelas!

Supernova
Em 20 de agosto de 1885, Andrômeda foi palco da primeira supernova já registrada em qualquer galáxia além da Via Láctea. Na ocasião uma estrela explodiu no bojo central de M31 e seu brilho e pode ser visto por vários observadores astronômicos, fracamente visível a olho nu.

Os cálculos mostram que ocorre uma supernova por século na galáxia de Andrômeda. Dessa forma não deveremos esperar muito tempo para que aconteça novamente. Quando acontecer, diversos astrofotógrafos deverão registrar o evento e se depender de Andolfato, Andrômeda já estará na mira!
----
E mais:
Foto espacial: NASA divulga imagem impressionante de Andrômeda (Hypescience)

terça-feira, 12 de agosto de 2014

segunda-feira, 11 de agosto de 2014

sexta-feira, 8 de agosto de 2014

quinta-feira, 7 de agosto de 2014

quarta-feira, 6 de agosto de 2014

terça-feira, 5 de agosto de 2014

segunda-feira, 4 de agosto de 2014

sexta-feira, 1 de agosto de 2014

quinta-feira, 31 de julho de 2014

terça-feira, 29 de julho de 2014

Cometa JACQUES no EBA


Paulo Cacella (Clique na imagem para detalhes)

quarta-feira, 23 de julho de 2014

ISS vista do céu


(UOL) O internauta Andrew Caldwell registrou a passagem da Estação Espacial Internacional de dentro de cemitério da Baía de Hawke, na Nova Zelândia.
----
Mais imagens aqui

quarta-feira, 16 de julho de 2014

Casal de romenos registra Estação Espacial cruzando o disco solar



(Apolo11) Observar a Estação Espacial Internacional cruzar o céu noturno é uma tarefa prazerosa e bastante fácil, mas fotografar o complexo orbital transitar na frente do disco solar já é outra coisa. É preciso estar no lugar certo, na hora certa e saber muito bem o que está fazendo.

A Estação Espacial Internacional, ISS, orbita a Terra a 345 km de altitude e executa uma revolução cada 92 minutos. E embora seja maior que um campo de futebol, Vista da Terra é apenas um pontinho que pode ser vista algumas vezes antes e depois do nascer do Sol.

Durante o dia, a presença do Sol e a dispersão da luz na atmosfera ofuscam totalmente a ISS, que passa completamente despercebida aos nossos olhos. No entanto, algumas vezes a Estação coincide de passar bem na frente do disco solar, ocasião em que sua silhueta pode ser observada através de um pequeno telescópio.

Sabendo dessa peculiaridade e conhecedores do fato de a Estação Espacial transitaria na frente do disco solar no dia 5 de julho, o casal de astrofotógrafos Maximilian e Eliza Teodorescu se prepararam para registrar em fotos o evento. E o resultado foi fantástico.

As cenas registradas pelo casal apresentam uma resolução extremamente elevada, onde se pode ver até mesmo os detalhes dos painéis solares do completo espacial, em conjunção com o grupo de manchas solar AR2104 e AR2107.


"Esta foi minha primeira tentativa de registrar a ISS com um sensor de imagens muito pequeno e grande ampliação", disse Maximilian. "Eu preparei a câmera para registrar a passagem em três frames e deu certo", completou.

Para Eliza, o momento foi simplesmente espetacular. "A ISS passou quase em paralelo à uma fileira de manchas. Enquanto a minha câmera seguia a ISS, uma após outra eram observadas passando ao fundo", destacou a astrofotógrafa.

Apesar das imagens mostrarem a ISS passando na frente do Sol, a aparente proximidade entre ambos é apenas visual. Enquanto a ISS está a apenas 345 quilômetros de distância dos observadores, o Sol está bem mais longe, quase a 150 milhões de quilômetros, 440 mil vezes mais distante.

O complexo orbital viaja a 27 mil quilômetros por hora e em um trânsito típico na frente solar a passagem dura cerca de 1.5 segundo.

Um show de imagens!

segunda-feira, 14 de julho de 2014

segunda-feira, 7 de julho de 2014

Ocultação de Marte pela Lua - REGISTROS


Julio Vannini
Clique na imagem acima para acessar acervo.

segunda-feira, 30 de junho de 2014

Veja concorrentes a fotos do ano do Observatório de Greenwich

Competição deste ano teve recorde de inscrições; fotos retratam 'shows' de galáxias, nebulosas e estrelas.


(BBC/G1) Organizado pelo Observatório Real de Greenwich em parceria com a revista "Sky at Night", da BBC, o concurso "Fotógrafo do Ano de Astronomia" chega à sua sexta edição em 2014.

Neste ano, a competição teve recorde de inscrições, vindas de mais de 50 países.

As fotos retratam desde galáxias a milhões de anos-luz a auroras boreais e céus estelares.

O concurso tem quatro categorias principais: Terra e Espaço, Nosso Sistema Solar, Espaço Profundo e Jovem Fotógrafo do Ano de Astronomia, para os menores de 16 anos.

"A competição vem crescendo de forma emocionante a cada ano, especialmente com o aumento constante do número de inscrições", diz Marek Kukula, astrônomo público no Observatório Real de Greenwich e juiz da competição.

Os vencedores serão conhecidos em uma cerimônia no Observatório Real, em Londres, em 17 de setembro de 2014.

As imagens serão posteriormente exibidas ao público no mesmo local do dia 18 de setembro até fevereiro de 2015.
----
Mais imagens aqui
----
Matéria similar no Hypescience
----
E mais:
Concurso de fotos traz 19 maravilhas da astronomia (G1)
.
Eleição do melhor fotógrafo de astronomia (DN - Portugal)

terça-feira, 10 de junho de 2014

Inscrições para II Concurso de astrofotos encerram no próximo mês


As inscrições para participar do II Concurso Nacional de Astrofotografias, uma realização do Blog Explorando o Universo juntamente com a Loja Tellescópio Acessórios, encerram dia 31 de julho.

O CNDA (Concurso Nacional de Astrofotografias) é um evento aberto para a participação de qualquer pessoa, desde que resida no Brasil e tenha ao menos uma astrofotografia (uma foto com algum elemento relacionado à astronomia, ex.: sol, Lua, aglomerado de estrelas, etc), para nos enviar, seja a astrofotografia simples ou mais elaborada.

Os interessados em participar tem até o dia 31 de julho ao meio dia para se cadastrarem, exclusivamente pela página oficial: http://concursodeastrofotografia.weebly.com/inscriccedilotildees.html.

Posterior a esta data começa a grande votação pública, que irá distribuir alguns brindes para os grandes destaques, entre eles uma Câmera Planetária QHY5L-II, concedida pela Loja Tellescópio Acessórios.

Dos três grandes vencedores do II CNDA, uma vaga está reservada para participantes que produziram uma astrofotografia apenas com câmera fotográfica, outra para participantes que utilizaram telescópio com abertura até 70 mm e uma última para participantes que utilizaram telescópio com abertura superior a 70 mm. Mais detalhes podem ser conferidos no regulamento oficial: http://concursodeastrofotografia.weebly.com/regulamento.html

Uma outra novidade desta edição é a Mostra de Astrofotos; cerca de 6 participantes serão escolhidos e convocados via e-mail, a partir do dia 15 de agosto, para participar deste programa, expondo algumas de suas astrofotografias no site oficial do CNDA.

Em agosto começará também o envio de e-mail para todos os participantes, convidando-os a ceder sua astrofotografia para o "Livro especial do CNDA", que reúne todas as astrofotos participantes, juntamente com especificações técnicas, além de colunas e entrevistas.

O grande intuito do Concurso Nacional de Astrofotografias, entretanto, não é selecionar as mais belas astrofotografias, mas sim expor e divulgar os belos trabalhos brasileiros na área.

quarta-feira, 4 de junho de 2014

Redemoinho de estrelas visto do Pólo Sul


Vista celestial
(Inovação Tecnológica) Imagine-se no Pólo Sol - você estaria olhando "para baixo" em relação ao plano da órbita do Sistema Solar e da galáxia.

O que você veria, com a ajuda de uma foto de longa exposição, seria esse verdadeiro redemoinho de estrelas.

Os rastros revelam o movimento aparente das estrelas no céu, à medida que a Terra roda lentamente, e são capturados fazendo longas exposições com a máquina fotográfica.

No lado direito da imagem, pode-se ver também as galáxias satélites da Via Láctea, a Grande (em cima, no centro) e a Pequena (embaixo, à direita) Nuvens de Magalhães.

segunda-feira, 2 de junho de 2014

Via Láctea vista dos Açores


(UOL) O astrofotógrafo português Miguel Claro fotografou os arcos da Via Láctea no céu da ilha de São Miguel nos Açores, um arquipélago composto por nove ilhas vulcânicas no Oceano Atlântico, próximo a Portugal. A imagem foi feita no dia 5 de abril e divulgada em maio.

quarta-feira, 28 de maio de 2014

Nasa promove concurso para escolher melhor foto da Lua


(Olhar Digital) Em comemoração aos cinco anos de atividade da sonda Lunar Reconnaissance Orbiter (LRO), a Nasa está promovendo uma campanha pela internet para escolher a foto que será a capa de um álbum em homenagem à Lua.

Pela internet, a agência espacial pede que o público vote em uma de cinco fotos que foram tiradas pela LRO, que desde 2009 registra imagens do satélite natural da Terra.

A votação vai até sexta-feira, 6 de junho, e a imagem vencedora será anunciada no dia 18, quando se completam os cinco anos desde que a LRO está no espaço. Seu lançamento, na verdade, ocorreu em 18 de junho de 2009, mas ela está em funcionamento desde 23 de junho daquele ano.

Depois será lançado um álbum intitulado “The Moon as Art” (algo como “a Lua como arte”), com 24 fotos. Para ver as candidatas e votar, clique aqui.

sexta-feira, 23 de maio de 2014

VII EBA - Encontro Brasileiro de Astrofotografia


Estão abertas as inscrições do sétimo EBA! Clique na imagem acima para detalhes.

sexta-feira, 16 de maio de 2014

Oito fotos sensacionais no espaço

Imagens estão entre as mais belas registradas pela Nasa


(O Globo) Do nascer do Sol à morte de estrelas; das constantes fotos do Sol a, quem diria, um "selfie" ao lado da estação espacial. É claro que ainda há uma infinidade de galáxias para explorar, mas, por onde passou, o homem já fez belos registros no Universo. Em homenagem ao Dia da Astronomia, comemorado no último dia 10, a Nasa listou oito impressionantes imagens do que foi visto por aí.

terça-feira, 13 de maio de 2014

As incríveis paisagens noturnas captadas por Nicholas Buer

Cada fotografia pode demorar de quatro a cinco horas


(Veja) Fotografias de paisagens requerem muita dedicação, principalmete se elas forem noturnas. E não é todo mundo que se submete a ficar quatro ou cinco horas durante a noite, no meio do nada, para capturar uma única imagem. O fotógrafo inglês Nicholas Buer, porém, é uma destas pessoas que gosta de estar do lado de fora, exposto ao frio ártico ou à aridez dos desertos. "Eu simplesmente adoro o sentimento de serenidade de quando estou sozinho na natureza", conta Buer, que fotografa o céu há quatro anos, de diversos lugares do mundo, como Chile, Austrália, Noruega, Islândia, Ilhas Canárias e Reino Unido.

Buer planeja tudo antes de cada viagem. Pesquisa tudo sobre o local que vai conhecer e sempre atenta para as fases lunares, para visitar o lugar no melhor momento. Ele diz que os ventos que trazem poeira para ele e seu equipamento é um dos maiores desafios. "Carregar o equipamento pesado por quilômetros até chegar nos pontos certos pode ser desanimador", afima. Além disso, Buer fala que passa muito mais tempo que o normal sem comer e sem dormir, mas quando está debaixo de um céu totalmente escuro, sem interfência de luzes artificiais, todas as dores vão embora. "Dizem que a melhor coisa da vida é a liberdade. Acredito que olhar a Via Láctea em uma graciosa noite é digno deste sentimento."

Buer diz que a claridade das ruas e das áreas residenciais pode encobrir a beleza das estrelas. E sugere: "Saia destes lugares e dirija alguns quilômetros para o escuro. Estes 'céus' estão mais perto das pessoas do que elas imaginam." Além de suas fotografias noturnas, ele também produz vídeos timelapse durante suas jornadas. Confira alguns vídeos e outros trabalhos do fotógrafo em seu site.
----
Mais imagens aqui