terça-feira, 30 de agosto de 2011

O Escorpião e Seus Companheiros nos Céus da Grécia


(EPOD / Cienctec) A foto acima mostra o céu estrelado como é visto desde a vila de Eglouvi em Lefkada na Grécia e foi feita no dia 29 de Junho de 2011. O grupo de estrelas à esquerda que tem a forma de um gancho e que é dominada pela estrela Antares de magnitude 1.0, é a constelação de Scorpio, o Escorpião. Na foto ainda parece que dois cometas gêmeos estão cruzando os céus, mas não, esses feixes de luz são causados por dois vagalumes que passaram em frente a câmera. Note que a estrutura observada no primeiro plano da imagem é a parte remanescente de uma antiga casa de pedra.

segunda-feira, 29 de agosto de 2011

Júpiter - 22/8/2011 - Registro


Maciel Bassani (clique na imagem para detalhes)

quinta-feira, 18 de agosto de 2011

Nasa destaca imagem de astrofotógrafo português


(Ciência Hoje - Portugal) Uma das imagens do astrónomo amador e fotógrafo português Miguel Claro foi publicada como "Fotografia do Dia" no portal Earth Science da NASA. A representação visual foi captada no Alentejo, após uma exposição de 3h30, no passado dia 1 de Julho. A fotografia combina 420 imagens, cada uma com 30 segundos de exposição e mostra estrelas que formam as constelações de Ursa Maior, Ursa Menor, Canes Venatici, Draco, Cepheus, Camelopardalis e Cassiopeia.

Miguel Claro escreveu na página do AstroPT, onde colabora, que mesmo "no olhar de um astronómo experiente não é possível percepcionar o movimento rotativo que todas as estrelas parecem produzir em torno de um eixo imaginário que indica o Norte, e apontando na direcção de uma estrela que todos já conhecem, a Polaris, ou chamada ‘Estrela Polar’. Em Maio passado, o fotográfo recebeu o prémio internacional na competição The World At Night.

O astrofotógrafo acrescenta ainda que “numa longa exposição fotográfica foi possível registar o rasto das estrelas que se encontram na região polar e perceber que todas elas descrevem um movimento circular em torno de uma estrela relativamente pontual, a Estrela Polar”.

Ao longo dos anos, especializou-se em fotografia de paisagens astronómicas: “Skyscapes”. O conceito visa a união entre os elementos Céu e Terra, valorizando o património arquitectónico, cultural e paisagístico e abordando de forma educativa e científica, o Universo. Diversas imagens da sua autoria têm sido publicadas nas mais prestigiadas revistas internacionais, como a National Geographic e na NASA.

quarta-feira, 17 de agosto de 2011

Júpiter e Ganimedes



Fabrício Borges

Webcam philips em projeção negativa com uma barlow
5x no newtoniano 200mm f/d6,3. Processados no registax.

----
Animação das imagens aqui

sexta-feira, 12 de agosto de 2011

Melhores fotos astronômicas concorrem a prêmio britânico


(Terra) Organizado pelo Observatório Real, na Inglaterra, o prêmio do melhor fotógrafo em astronomia recebeu a inscrição de mais de 700 imagens de fotógrafos amadores e profissionais ao redor do mundo. De meteoros atravessando o céu noturno a galáxias distantes, da aurora boreal a nebulosas, a terceira edição do concurso anual reúne registros de fenômenos espaciais próximos à Terra e no espaço profundo. Veja na galeria algumas das imagens concorrentes.

A decisão final dos juízes será anunciada no dia 8 de setembro e todas as fotografias premiadas serão exibidas no observatório. As inscrições foram realizadas pela internet e a cerimônia de premiação poderá ser acompanhada em tempo real pelo twitter (no perfil #Astrophoto11).

O concurso se divide em cinco categorias: o prêmio geral, que pagará 1,5 mil libras (quase R$ 4 mil); Terra e Espaço, para imagens que além de um tema espacial incluem pessoas ou paisagens terrestres; Nosso Sistema Solar, que paga até 500 libras; Espaço Profundo, para imagens de tudo que está além do Sistema Solar; e uma categoria apenas para jovens com até 16 anos. Os jurados ainda entregarão três prêmios especiais, de Pessoas e Espaço, Melhor Estreante e Imagem de Telescópio. Entre os dez jurados, estão astrônomos, jornalistas, fotógrafos, artistas e apresentadores de televisão.
----
Mais fotos aqui

segunda-feira, 8 de agosto de 2011

Encontro Brasileiro de Astrofotografia (EBA) - Registros do céu


Algumas imagens do céu obtidas por Paulo Cacella durante o Encontro Brasileiro de Astrofotografia em Alto Paraíso de Goiás. (clique na imagem acima para acessá-las)

Lua - 04/08/2011


João Amâncio

Imagens obtidas através da CCD DMK21 @60fps.
Mosaico composto por 9 frames com tempo de exposição de 1/250s cada.
Outras imagens foram somadas ( stacked ) no Avistack e tratadas o wavelet no RegiStax.

Clique aqui ou na imagem acima para acessar outras fotos.

quinta-feira, 4 de agosto de 2011

Foto Mostra Constelação de Orion Se Levantando Sobre Uma Paisagem Coberta de Neve


(Astronomy.fm / Cienctec) Essa imagem da constelação de Orion nascendo foi registrada sobre um campo repleto de neve durante o inverno. Quando os moradores do hemisfério norte observam a constelação de Orion nascendo, eles sabem, o natal está próximo. E aqui foi possível registrar esse momento fotograficamente. O céu claro mostrado nessa foto for precedido por um período de nevascas pesadas e de temperaturas congelantes impedindo qualquer atividade fotográfica fora de abrigos. Essa foto foi feita com uma câmera Canon 1000D, com lente de 18-55 mm. A câmera foi montada num tripé para evitar trepidações e estragar a imagem final. A exposição usada foi de 15 segundos, com ISO 1600 para o céu e de 45 segundos com ISO 400 para o primeiro plano. As imagens foram processadas no Photoshop 7.0.

terça-feira, 2 de agosto de 2011

segunda-feira, 1 de agosto de 2011

A melhor imagem de choque de galáxias


(DN - Portugal) O astrónomo Alex Cherney recebeu o primeiro prémio no Starmus Festival, celebrado nas Canárias, por ter tirado a melhor fotografia de astronomia. O galardão traduziu-se no direito a uma hora de observação no Grande Telescópio das Canárias, o maior do mundo.

Graças a isso, conseguiu a melhor imagem alguma vez conseguida das galáxias Arp 84, que ficam a 160 milhões de anos-luz da Terra. Esta é uma galáxia em espirar grande com outra de melhor dimensão, com um centro muito brilhante e dois braços internos largos e simétricos.